20080406

O frasco



Enquanto esperavamos pelo carro, várias situaçoes se revelaram. Um velha senhora, óculos fundos de residencia em aparecida, passou, segurando um belo Galo, de pés amarrados, e enorme crista vermelha, que esperava a hora da morte na panela.


Logo em seguida conversamos sobre o desejo, o amor, a química humana. Quem viu, sabe, o amor é uma questão de odor, cheiro. Um ser se afeiçoa a outro pelo irresitivél odor que ele espele. Não importa muito outras questões. Esta é a base. Esse odor se impreguina e irracionalmente nos embriaga. Ficamos cegos.


Se algum dia, por uma questão de princípios, a mulher e o homem se separam, é óbvio que um sentirá uma espetacular falta do outro. É a falta do odor. Até que este se embasse na memória, é preciso viver o tédio de outros perfumes. Por isso todos dizem: Dá-se tempo ao tempo. Ou um amor se cura com outro.


O frasco acabou, compre outro igual. Se não mais existe, faça uma pesquisa em perfumaria e descubra um perfeito para vc.




Moral da hístoria, tudo é substituível.

2 comentários:

Aldrin disse...

Legal.
Aqui, já q falamos de vídeos. Descobri um programa bom para baixar vídeos da internet. n sei se vc conhece. Chama Miro.

Abraços!

Cris Moreno disse...

rsrs

Ei, Liberté, e no mundo virtual, como é que a gente faz? rsrs

Não tem cheiro. Palavras têm cheiro?

Beijinhos.

Você é muito engraçada, saibas? Gosto do seu jeito de como vê a vida!

:)